Conteúdos

“ Matérias exclusivas de diversas áreas e segmentos. Conteúdo com abordagem direta e original, tudo feito especialmente para agradar os leitores mais exigentes! ”

RUNNERS

CORREDOR

Em busca da melhor qualidade de vida, runners ocupam cada dia mais espaço em avenidas e parques do interior paulista. 

Por Fábio Barbosa

Dizer que não tem tempo para praticar exercícios físicos é uma das principais desculpas usadas pelas pessoas hoje em dia. É verdade que encontrar um tempinho livre em meio a tantas atribuições do dia-a-dia está cada vez mais difícil, mas isso não pode ser obstáculo para quem busca uma melhor qualidade de vida. Academias “brotam” diariamente nos grandes centros. Isso sem falar nas academias ao ar livre, espaço cada dia mais comum em algumas cidades.

Mas não são apenas lugares específicos para a prática esportiva que podem estimular alguém a abandonar o sedentarismo. As ruas, avenidas, trilhas, entre outros espaços públicos são uma ótima opção para caminhadas e corridas. Prova disso é que a caminhada é o esporte mais praticado no mundo. Relatório anual sobre esportes e fitness da Health, Raquel & Sport Club Association de Boston mostra que 65% das mulheres e 45% dos homens participantes do estudo no mundo optam por esse esporte.

No Brasil o cenário é o mesmo. O país do futebol se torna cada vez mais o país das caminhadas e corridas. A corrida é, aliás, um dos esportes que mais ganha adeptos no país nos últimos anos junto com a caminhada. Um estudo realizado recentemente pelo Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde (Nupens), da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, com 54 mil pessoas, demonstrou que 18% dos entrevistados elegem a caminhada como preferência. Muitos utilizam a prática como introdução à corrida como forma de melhorar o desempenho atlético e também físico.

Antes restrita a provas tradicionais como a Corrida de São Silvestre, disputada há 90 anos no último dia de dezembro na cidade de São Paulo, as chamadas corridas de rua são cada vez mais comuns no cenário esportivo nacional. Várias são as maratonas e meia-maratonas nas capitais brasileiras. O interior paulista também não fica atrás e provas de longa, média e curta distância são frequentes nos finais de semanas em muitas cidades atualmente. Praticamente todo sábado e domingo tem uma prova sendo realizada em alguma cidade no interior de São Paulo.

Rafael Souza presta assessoria na organização de provas de corrida de rua em várias cidades paulistas. Trabalhando em quatro provas por mês, em média, estima que cerca de 600 pessoas participem de cada evento em que ele está presente. Número esse que cresce prova a prova. “O crescimento da corrida de rua é excepcional, é o esporte que mais cresce no país. Certamente, nos últimos três anos, mais que dobrou a participação de atletas e a quantidade de eventos desse esporte no Brasil.” O atleta amador é quem mais procura esse tipo de prova. “É crescente o número de participantes que procuram a corrida como desafio pessoal e para saúde. Com isso vem aumentando a participação de atletas menos experientes. Mas, mesmo esses menos experientes, em algum tempo já procuram desafios maiores. Seja numa distância maior ou redução de tempo na mesma distância melhorando o próprio desempenho.”

Para o profissional de educação física RodrigoGuitti, independentemente se a pessoa participa de provas ou apenas corre na pista ou parque próximo de casa, alguns cuidados importantes devem ser tomados. “É essencial que se façam exames antes da prática da atividade física para identificar possíveis doenças ou limitações físicas que impeçam a prática da corrida. Deve-se também investigar o estado nutricional do corredor, verificar se ele usa medicamentos e qual é o nível de condicionamento físico. A corrida pode ser praticada por qualquer pessoa, desde que tenha capacidade física para tal, ou seja, que a intensidade do esforço seja compatível com sua capacidade funcional.”

 

CASAL_CORRENDO

E não há idade mínima para se começar a praticar a corrida. Com 53 anos de idade, João Carlos Modolo, pratica o esporte há cerca de dois anos. Assim como grande parte das pessoas, ele começou meio que por acaso e se apaixonou por essa atividade. “Minha esposa fazia hidroginástica e eu a acompanhava. Como chegava à academia quase 40 minutos antes da aula, comecei a correr na esteira. Uma amiga que já praticava corrida há algum tempo me convidou para participar das corridas de rua. Aceitei o convite, participei da primeira e não parei mais.” João afirma ainda que, na verdade, quanto maior a idade, maior também é o estímulo e a necessidade de uma prática esportiva. “No começo o objetivo era terminar as provas sem se preocupar com a classificação. O fato de concluir uma prova de 5 km já era uma grande vitória.”

Giuliano de Angelis, 42 anos, começou a correr há um ano e meio com o objetivo de melhorar o condicionamento físico e perder uns quilinhos. Conseguiu muito mais que isso. “Além de eliminar 27 quilos nesse período, o aumento da disposição, da capacidade física e pulmonar e do raciocínio me ajudaram a melhorar até o desempenho profissional.” Assim como João Carlos, ele também passou a participar de algumas competições. Tudo para superar os próprios limites. “É um esporte muito dinâmico, emocionante, em que o desempenho e a obtenção de resultados dependem apenas de você mesmo. Da sua força de vontade.”

Assim como toda atividade física feita de maneira correta e com orientação prévia de profissionais, a corrida tende a trazer só benefícios ao praticante. O importante é se movimentar e afastar o sedentarismo. “Correr traz muitos benefícios para a qualidade de vida do indivíduo. Reduz o peso corporal, melhora o nível de colesterol, aumenta a capacidade cardiorrespiratória, reduz os riscos de infarto, aumenta a massa muscular, reduz a variação da pressão arterial de repouso, ativa a circulação sanguínea, diminuindo problemas do coração. Melhora a função do rim, que filtra o sangue. Reduz o número de substâncias tóxicas que circulam por todo nosso corpo, melhora a qualidade do sono, estimula a formação de massa óssea ajudando a prevenir lesões como a osteoporose e aumenta a eficiência do metabolismo”, lista o educador físico Rodrigo Guitti.

Quem pratica esse esporte sente mudanças significativas no estilo de vida. “A corrida proporciona uma sensação de liberdade e prazer. Quando você conclui uma prova, tem a certeza de que é capaz e que está apto a encarar desafios por mais difíceis que possam parecer. A corrida é para todos, desde os mais jovens até os mais velhos. Cada um no seu ritmo e com a satisfação e alegria que ela proporciona”, afirma João Carlos Modolo.

 

Fique atento! Alimentar-se adequadamente é fundamental.

Toda prática esportiva deve estar aliada a uma alimentação saudável e balanceada. Isso para evitar problemas de saúde e também melhorar o rendimento na atividade desejada. O descanso é parte fundamental na realização de qualquer atividade esportiva. Na prática da corrida, de acordo com o profissional de educação física Rodrigo Guitti, novatos e veteranos precisam seguir algumas orientações. “Pra quem esta começando, pode-se manter uma alimentação normal, desde que essa seja equilibrada e adequada às necessidades nutricionais. O desgaste gerado pela atividade esportiva, nesse caso, é facilmente compensado por uma boa alimentação, sem necessidade de suplementação. Já os atletas, quando há um ritmo intenso de treinamento, deve ter um cuidado maior com a alimentação. Aumentar a ingestão de água, consumir maior quantidade de fontes de carboidratos, dando preferência para aquelas que contêm pouca ou nenhuma gordura. Evitar gorduras sob todas as formas. Ingerir boas fontes de fibras durante as refeições, evitar o excesso de açúcar e sal, evitar bebidas gaseificadas e bebidas alcoólicas, sobretudo próximo às competições.”

Compartilhe: Share on Facebook7Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someonePin on Pinterest0
Comentários
Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!
Deixe seu comentário

Nome:
Email:
Mensagem: