Conteúdos

“ Matérias exclusivas de diversas áreas e segmentos. Conteúdo com abordagem direta e original, tudo feito especialmente para agradar os leitores mais exigentes! ”

BB King

“O Blues sangrava o mesmo sangue que o meu”.

Por Mariana Hafiz

Neste dia 14, última quinta-feira, foi anunciada a morte de um dos grandes guitarristas do blues, aos 89 anos, devido a múltiplos pequenos ataques do coração provenientes de uma longa luta contra Diabetes do tipo Dois.

Riley B. King nasceu em Itta Bena, Mississipi, em setembro de 1925, para vir a se tornar uma importante peça na consolidação do blues e um modelo a ser seguido por futuros guitarristas. Entretanto, sua vida nem sempre foi inteiramente voltada à música, King serviu na Segunda Guerra Mundial antes de explodir como fenômeno na música. Ele também trabalhou como DJ em Memphis, no Tennessee, onde seu apelido era Beal Street Blues Boy, “O Menino do Blues da Rua Beal”, em português, nome que foi abreviado para “B.B.”, virando B.B. King. Em 1949 o guitarrista lançou sua primeira música e nas próximas décadas King dedicou-se à gravação e a tours, realizando cerca de trezentos shows por ano. Internacionalmente reconhecido ao lado de nomes como Eric Clapton e Jimi Hendrix, King ganhou seu décimo quinto Grammy em 2009.

Cutlery and napkin with plate on a damask tablecloth with copyspace

Depois de sua aparição numa rádio em Memphis, em 1948, o músico ganhou um espaço de dez minutos na programação, o que acabou fazendo muito sucesso e por fim tornou-se um quadro inteiro, contribuindo para o crescimento de sua popularidade.
Com o passar dos anos, B.B. King desenvolveu um estilo muito distinto de se tocar guitarra, integrando sons precisos e complexos, apresentando um modelo de “cada nota conta”, que foi seguido por grandes nomes da música, incluindo Eric Clapton, George Harrison e Jeff Beck. King mesclou componentes do blues, jazz, swing e até mesmo pop para criar este som único.

Cutlery and napkin with plate on a damask tablecloth with copyspace

Por esses motivos, King continuou a usar sua coroa por muitas décadas e inclusive em seus 76 anos ele se apresentava com a mesma paixão que tinha quando mais jovem. O tempo nunca pareceu surtir efeitos no Rei além de deixá-lo mais popular, apreciado e relevante, apenas até o dia 14 deste mês. As últimas despedidas ao Rei serão realizadas em seu velório a acontecer no próximo dia 23, em Las Vegas.

Compartilhe: Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someonePin on Pinterest0
Comentários
Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!
Deixe seu comentário

Nome:
Email:
Mensagem: